Jakok Bro Trio de volta ao cenário de Jazz no Brasil

Sendo um dos guitarristas mais elogiados da Dinamarca, Jakob Bro Trio foi uma escolha óbvia para a primeira rodada do projeto Dinâmica Dinamarquesa, que promove a música dinamarquesa no Brasil. O trio fez um total de sete concertos – Festival Savassi em Belo Horizonte, para cerca de 20.000 pessoas, uma série shows em festivais de música no Rio de Janeiro, além da participação em um programa de televisão para milhares de telespectadores – Agora,  o trio, que além do Jakob Bro consiste de Anders Christensen (Baixo) e Jakob Høyer (Guitarra), está de volta e vai tocar, entre outros, no Festival Multiplicidade, que este ano vai celebrar seu décimo aniversário.

Antes dos concertos da Dinâmica Dinamarquesa, Jakob Bro já tinha tacado algumas vezes no Brasil e tinha feito tours na América do Sul, junto com Paul Motians band e Tomasz Stankos Dark Eyes Quintet. Sendo um grande fã da música brasileira, Rio de Janeiro e São Paulo foram as cidades mais desejadas quando o grupo foi escolhido pelo projeto Dinâmica Dinamarquesa.

No verão de 2013, Jakob Bro embarcou com grandes expectativas sobre o tour. A rica tradição da música brasileira deu ao grupo uma confiança de um público aberto e interessado pelo som do trio. E os eventos corresponderam às expectativas. Os músicos encontraram nos produtores e no público um grande entusiasmo. Uma música que para brasileiros é algo diferente do que normalmente associam com o jazz, aprendeu o grupo.

O projeto Dinâmica Dinamarquesa enfatiza a possibilidade de colaboração musical com músicos brasileiros. Jacob Bro Trio desenvolveu a música para os concertos com a colaboração do DJ brasileiro, Anderson Noise, que ao longo de dois meses processou a música do trio junto com os músicos dinamarqueses. O resultado foi um sucesso.

Além dos concertos, o trio fez um workshop em São Paulo para estudantes de música. Foi surpreendente para o Trio ver que exista tantas regras e restrições em relação ao jazz no Brasil, sendo que a abordagem dinamarquesa é mais casual. Vendo a música de outro lado foi uma fonte de inspiração para ambas as partes.

O workshop e a colaboração com um artista local como Anderson Noise, deu-lhes a experiência de ser introduzido ao cenário musical no Brasil de um jeito que não seria possível se apenas tivessem feitos seus próprios concertos.

“Durante todo o processo, a Dinâmica Dinamarquesa foi um parceiro muito competente e sério. Foi aberta aos meus desejos, mas também, tem me guiado por direções que não poderia encontrar sozinho,” explicou Jakob Bro, depois do tour no Brasil em 2013.

Pelos firmes contatos entre a Dinâmica Dinamarquesa e o mundo musical brasileiro, foram criadas uma relação com produtores e artistas, com quem Jakob Bro tem trabalhado desde então para voltar a realizar um novo tour este ano.

O tour de 2013 foi organizado pela Dinâmica Dinamarquesa, que é um projeto do Instituto Cultural da Dinamarca junto com as organizações de gêneros, SNYK, MXD/ROSA e JazzDanmark.  O projeto, que conta com o apoio da Fundação de Arte do Estado e um número de festivais no Brasil quer apresentar e promover a música dinamarquesa para o público do Brasil. O objetivo é construir uma colaboração mútua entre artistas dos dois países.

Astro Buddha Agogo – International Master Series

O Astro Buddha Agogo, banda formada pelo saxofonista Michael Blicher, pelo tocador de órgãos Hammond, Dan Hemmer, e pelo baterista Anders Holm já realizou um show em São Paulo, no Festival MCI – Mês da Cultura Independente, realiza nesta quinta-feira (11) e na sexta-feira (12), no Santo Scenarium, Rio de Janeiro, e encerra sua turnê pelo Brasil no dia 13, na Festa Jazz Ahead Ray Charles Tribute, no Clube dos Macacos, também na Cidade Maravilhosa.

Além de todos esses shows, o grupo vai fazer um workshop no dia 12 de setembro, com entrada gratuita, das 15-17 horas, também no Santo Scenarium (Rua do Lavradio, 36, Centro, Rio de Janeiro). O último International Master Series foi um sucesso e contou com a presença do Trio de Jazz Phronesis.

 

Taragana Pyjarama e Erik Lindkvist Thomsen

Misterioso e mágico – duas palavras que não poderiam ser mais apropriadas para
descrever o som do Taragana Pyjarama.

Taragana Pyjarama (aka Nick Eriksen) é mais um músico que está chegando para se apresentar no Brasil, junto com o tecladista Erik Lindkvist Thomsen, que se destaca pela experiência na improvisação em live sets, utilizando moogs e outros sintetizadores, além de pedais de FX. Através da Dinâmica Dinamarca os artistas vêem para realizar shows em São Paulo (Green Sunset e D-EDGE) e no Rio de Janeiro (Festival Multiplicidade e La Paz Club).

O DJ lançou suas primeiras faixas em 2010, desde então, vem ganhando grande destaque internacional, tendo remixado singles para artistas como Delorean, Polock e Delphic. Em 2013, Nick Eriksen, lançou com grande sucesso o LP Nothing Hype, continuação de seu mini-álbum de estreia, Tipped Bowls, de 2012.

Astro Buddha Agogo em São Paulo e Rio de Janeiro

A próxima banda que vai se apresentar no Brasil, dia 10 de setembro em São Paulo, 11,12 e 13 no Rio de Janeiro, é o Astro Buddha Agogo. O grupo que tem referências de Ray Charles e do soul/blues de Nova Orleans (EUA), é formado pelo saxofonista Michael Blicher, pelo lendário tocador de órgãos Hammond, Dan Hemmer, e pelo baterista Anders Holm. O trio, que está trabalhando para lançar seu segundo álbum em 2015, já fez mais de 400 shows ao redor da Escandinávia.

Nos últimos anos, a banda também caiu no gosto de professores e funcionários de Instituições Culturais infantis. Por isso, o trio já realizou muitos shows para crianças em escolas públicas. O sucesso tem sido tão grande que Astro Buddha Agogo foi escolhido para ser um dos atos escolares nacionais na Dinamarca, e durante os próximos anos vão visitar as escolas de todo o país.

Próxima atração

A Dinâmica Dinamarquesa está voltando com tudo neste segundo semestre de 2014. E a partir de agosto até o final do ano, muitos artistas irão se apresentar em algumas cidades brasileiras. O primeiro nome que podemos revelar é o do Phronesis, definido pela a revista inglesa Jazzwise como “Uma das bandas mais excitantes do planeta!”.

O trio de jazz foi formado em 2005 pelo contrabaixista dinamarquês Jasper Høiby, o inglês Ivo Neame no piano e pelo baterista sueco Anton Eger. Com performances carismáticas conquistaram um grande público. O grupo já se apresentou em diversos festivais de Jazz ao redor do mundo, entre eles o North Sea Jazz Festival (Holanda), Brecon Jazz Festival (UK), Montreal Jazz Festival (Canadá) e Jazz Standard NY (Estados Unidos). Agora é a vez do Brasil!

Confira o vídeo abaixo e fiquem atentos aqui no site e no Facebook para saberem as datas e as próximas novidades.

Batman Zavareze conta um pouco mais sobre o Happenings e sua viagem para Dinamarca

Em um texto enviado para o blog Amplificador do jornal oglobo.com, Batman Zavareze, o organizar do evento Happenings, que aconteceu nos dias 9 e 10 de novembro na Casa França Brasil – Rio de Janeiro, e teve os DJs dinamarqueses do Lulu Rouge no segundo dia, falou um pouco mais de como foi viajar para a Dinamarca a convite do Instituto Cultural da Dinamarca através do projeto Dinâmica Dinamarquesa, especialmente para acompanhar o evento Wundergrund e conhecer o mundo artístico nórdico.

‘’Mas o que vimos nestes oito dias em Copenhagen foi uma combinações de atrações sonoras que permeavam o jazz, o site specific, a música clássica, a musica eletrônica, a sound art e outros experimentos de algo muito novo para os padrões estéticos e melódicos do Brasil. A paisagem mais próxima do polo norte, o povo e o clima de um outono a 10ºC ajudava no deslocamento do meu tempo-espaço e aumentava ainda mais a intensidade da minha experiência.’’ afirma o organizador.

Batman ainda disse que o festival Wundergrund é o amadurecimento e um recorte de algo muito próximo do que eles semearam há quatro anos com o projeto Happening, que tinha como ideia trazer um movimento espontâneo e improvisado da arte e gerar um embaralhamento dos sentidos com suas múltiplas ações coletivas. Na edição desse ano o evento contou com a dupla de DJs dinamarqueses do Lulu Rouge, Nado Leal, Xplau, entre outros.

Leia mais sobre o Happening e a experiência de Batman na Dinamarca aqui :

Entrevista com Marcos Guzman

Prestes a viajar para a Dinamarca, o produtor cultural Marcos Guzman, falou um pouco do que espera encontrar em terras escandinavas.

Conhecido por produzir o evento Green Sunset, que terá no dia 09 de Novembro os dinamarqueses do Lulu Rouge e acontece no Museu da Imagem e do Som (MIS) em São Paulo, Marcos embarca nesse fim de semana para a Dinamarca, onde acompanhará o Festival Wundergrund.

Qual a sua expectativa para o Wundergrund no final desse mês?

A minha expectativa é conhecer este grande festival e seu segmento de sonic art inserida no universo das artes plásticas e performáticas, bem como a relação da sonic art com a música clássica e erudita.

Você já esteve na Dinamarca, o que você espera encontrar de diferente dessa vez?

Aprofundar as relações com artistas, promoteres, produtores de eventos e curadores da cena de música independente da Dinamarca.

E pelo que já viu, o que acha que pode trazer para o Brasil?

Diversos projetos Made in Denmark: Desde opções mais óbvias que já são grandes nomes no cenário internacional como Trentemöller e Kasper Bjorke, mas principalmente outros artistas como Mike Sheridan, Taragana Pyjarama, Thomas Knak, When Saints Goes Machine e Lulu Rouge que se apresenta no MIS na edição de novembro 2013.

Você acha que pode acontecer alguma parceria musical entre dinamarqueses e brasileiros?

Sem dúvida, a parceria poderia se iniciar em um nível mais básico, com a criação de remixes de músicas já lançadas. E partir para em um segundo momento, em colaborações nas composições de novas músicas. Em um terceiro nível, para a co-criação de um álbum inédito, e também indo mais longe, na formação e apresentação de grupos binacionais e também em um contexto audiovisual.

No Green Sunset se apresentam Djs da Europa, você pensa em levar algum DJ brasileiro pro exterior?

Certamente, acredito que a base do intercâmbio cultural para se sedimentar precisa ser estabelecido na via de duplo sentido, após as bem-sucedidas turnês dos DJs dinamarqueses, Tomas Barfod e Peter Visti, que deixaram no público brasileiro ótimas impressões da música eletrônica dinamarquesa, o próximo passo seria a possibilidade de levar DJs brasileiros para se apresentar na Dinamarca, em eventos da mesma envergadura da Green Sunset que acontece no museu MIS, e foi eleito consecutivamente como o melhor evento de SP e do país.

Pela primeira vez no Brasil, o Lulu Rouge vai se apresentar nos dias 8 e 9 em São Paulo e dia 10 no Rio de Janeiro

O Lulu Rouge é formado pelos DJs, Torsten Bo Jacobsen e Thomas Bertelsen (conhecidos como Buda & TOM),e traz pela primeira vez para o Brasil suas combinações de Techno e Dub. O duo que lançou seu álbum de estreia BlessYou, em 2008, e foi  chamado de revelação, tornou-se um dos mais respeitados do Norte da Europa. Suas músicas possuem uma melancolia arenosa do inverno escandinavo, e o som do baixo é tão profundo e intenso, que faz um ‘’estrondo’’ no solo. Ao vivo, o som deles é considerado uma experiência única, com o já famoso baixo pesado ‘inundando’ o espaço e não deixando ninguém parado.

O duo participa de diversos DJ sets e festivais pela Europa como Roskilde, 10 Days Off, Sonar, Copenhagen Distortion, Bread and Butter, Eurosonic, Amsterdam Dance Event e até o Festival de Jazz de Copenhague. Outra parte importante da identidade do Lulu Rouge é o fluxo constante de remixes feitos por eles, que são disponibilizados em blogs como tracealine.com, palmsout.com e fatberris.com. Estas edições são personalizadas e feitas sob medida, uma vez que nunca apresentam quaisquer faixas na forma original, criando uma experiência única cada vez que vão para trás dos decks.

Os Djs tem suas trilhas fazendo parte de mais de 100 compilações, além de serem licenciadas para anunciantes de alto nível, e também para programas de TV no horário nobre como ‘’Eastbound’’ da HBO americana e o inglês ‘’Top Gear’’. A dupla ainda tem participações em alguns remixes de artistas como Trentemøller, Groove Armada, Bomb The Bass e Moby. Além de sucesso com o público, o Lulu Rouge tem vários prêmios na carreira. Buda ganhou o de Melhor DJ de eletrônica em 2013 (Prêmio Dinamarquês de DJ), além de a dupla ter ganho o prêmio de Melhor Remix, no mesmo evento.

Confira abaixo a agenda de shows dessa dupla de DJs:

8.11
Centro Cultural São Paulo
R. Vergueiro, 1000 – Paraíso, São Paulo.
Hora: 18:00
Entrada Franca
—————————————————————–
9.11
Green Sunset – Museu da Imagem e do Som
Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo.
Hora: 19:00
Valor: Inteira R$ 14,00 / Meia R$ 7,00
—————————————————————–
9.11
Clube D-Edge
Alameda Olga, 170 – Barra Funda, São Paulo.
Hora: 01:00
Valor: Com lista até 1h R$40,00/ Após 1h R$50,00/ Sem lista R$70,00
—————————————————————–
10.11
Happenings
Visconde de Itaboraí, 78 – Centro, Rio de Janeiro.
Hora: 21:00
Entrada Franca