Nightingale String Quartet no Rio de Janeiro

Em homenagem aos 150 anos ao compositor Carl Nielsen, um dos grandes nomes da música dinamarquesa, a Sala Cecília Meireles, o Conservatório Brasileiro de Música, o Teatro Municipal de Niterói e a Cidade das Artes vão receber o quarteto dinamarquês de cordas Nightingale String Quartet . O grupo traz o som de dois violinos – Gunvor Sihm e Josefine Dalsgaard, uma viola – Marie Louise Broholt Jensen e um violoncelo – Louisa Schwab. Todas formadas pela Academia Real Dinamarquesa de música, em Copenhague. Com um repertório de clássicos de Carl Nielsen, o quarteto traz ao público um olhar forte e impetuoso sobre a música de câmara, despertando emoção e sensibilidade por onde passam.

O nome, Nightingale String Quartet, é inspirado em um conto de fadas do famoso escritor dinamarquês, Hans Christian Andersen, que conta a história do passarinho Rouxinol, numa alusão ao som intenso e ao mesmo tempo sensível que o quarteto consegue realizar no palco.

CONFIRA AS DATAS DAS APRESENTAÇÕES:

21 de junho às 17h – Sala Cecília Meireles
http://salaceciliameireles.rj.gov.br/

23 de junho às 14h – Masterclass no Conservatório Brasileiro de Música do Rio de Janeiro
http://www.cbmmusica.edu.br/hotsite/#section1 

26 de junho às 20h – Teatro Municipal de Niterói
www.tmnit.com.br

27 de junho às 16h – Cidade Das Artes
http://www.cidadedasartes.org/ 

Clique na imagem para assistir um vídeo do quarteto

 

Carl Nielsen 150 anos – Carion no Teatro Municipal do Rio

Image

Amantes da música clássica prestigiaram o quinteto de sopros Carion, hoje, no Teatro Municipal do Rio. É a primeira apresentação do grupo, como parte do programa de homenagem aos 150 anos do compositor dinamarquês Carl Nielsen. Confiram as fotos, e não esqueçam: ainda hoje, às 20h, o grupo se apresenta na Sala Cecília Meireles e no próximo sábado, 06 de junho, às 16h, na Cidade das Artes.

Mais informações:

Sala Cecília Meireles: http://salaceciliameireles.rj.gov.br/

Fundação Cidade das Artes: http://www.cidadedasartes.org/

 

 

 

 

Carion está chegando!

O quinteto Carion foi formado em 2002 por cinco jovens geniais da música clássica que sonhavam em aperfeiçoar e desenvolver o desempenho da música de câmara de sopra, sonho que é baseado em uma visão focada no que a música de câmara poderia se tornar. O quinteto que é altamente premiado pelo seu grande talento, é composto por instrumentos de sopro em madeira e os músicos tocam na ausência das estantes de partitura – forma que dá aos músicos a liberdade de comunicação múltipla com seus colegas e a sua plateia. Também permite uma coreografia baseada na música, revelando a arquitetura interna de cada peça, adicionando uma dimensão à experiência do desempenho que deixa mais acessível até a parte vanguarda do repertório.

O Carion faz parte da comemoração global do compositor famoso dinamarquês, o Carl Nielsen. Veja mais aquiProgramação do Carion

Segundo dia do Festival Multiplicidade – 29/11

Segundo dia, sábado, 29.

No segundo dia do Festival, foi realizado um workshop (Boost your profession as a musician) com o grupo dinamarquês Artlab. Lisbeth Rysgaard e Gerda Hempel contaram com a mediação de Léo Feijo.

A tarde e a noite, Lilibeth Cueca e seus dançarinos movimentaram o Parque Lage com a performance Mobile Mirrors, chamando a atenção do público e provocando muita interação.

Já na madrugada, Bjorn Svin e Kenton Slash Demon colocaram o público para dançar com suas batidas eletrônicas, fazendo as estruturas do Parque Lage tremerem.

Primeiro dia do Festival Multiplicidade – 28/11

O Parque Lage recebeu no último fim de semana o Festival Multiplicidade, que completou a sua 10º edição. Durante os três dias de evento passaram por lá artistas de diversas partes do mundo, principalmente da Dinamarca.

Primeiro dia, sexta-feira, 28.

Jacob Kirkegaard foi o primeiro a entrar em cena com a instalação Labyrinthitis, que tomou conta da torre e ficou exposta nos três dias do festival.

Labyrinthitis é uma obra sonora baseada no fenômeno de “emissões otoacústicas” Os tons saindo das 16 caixas foram produzidos e gravados dentro do ouvido do artista. Provocando os ouvidos do espectador a gerar seus próprios tons internos como resposta.

O dia seguiu com o Painel Do Pensamento, realizado na OCA Lage, com a presença do diretor do festival dinamarquês Wundergrund, Thorbjørn Tønder Hansen, falando sobre a arte sonora e deixando uma reflexão sobre as mudanças da linguagem musical e tecnológica ao longo dos anos.

Já no final da tarde começou a chover forte no Rio de Janeiro. E o que deixaria o ambiente triste, na verdade, deixou o Parque Lage mais bonito e o público compareceu para assistir as últimas atividades do primeiro dia.

Jacob Kikergaard voltou ao palco, desta vez com Lilibeth Cuenca, para apresentar o espetáculo Bemejemeria. O espetáculo é inspirado na palavra Bemejemeria, que significa “no início” em amárico, a língua escrita oficial da Etiópia, o idioma mais antigo vivo.

E para encerrar a presença dinamarquesa no primeiro dia, Thomas Knak tomou conta do salão nobre com muita música eletrônica.

Conheça os dinamarqueses que estão chegando ao Brasil

Lilibeth Cuenca Ramussen

Mobile Mirrors é uma performace com um ou mais manequins, todos vestidos em um mosaico de fragmentos de espelho. Os espelhos são fragmentados e espalhados por todo o corpo. Normalmente se olha no espelho, neste caso, a pessoa de dentro só pode espelhar os outros, e parcialmente seu ambiente, mas nunca si próprio.

Centro Cultural São Paulo: Mobile Mirrors – 27/11 às 19h.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: Mobile Mirrors - 29/11 às 18h.

Jacob Kirkegaard

As obras de Jacob Kirkegaard derivam de fenômenos acústicos inaudíveis ou inescutados. Com sensores e métodos de gravação e edição especiais o material é desdobrado em composições, obras sonoras ou visuais, e instalações espaciais.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: A instalação Labyrinthitis ficará no Parque Lage dias 28, das 13h às 18h, dia 29, das 10h às 18h e dia 30, das 10h às 18h.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: Participação no Painel do Pensamento – 28/11 das 14h às 19h.

Centro Cultural São Paulo: SP Inaudível – uma obra criada especialmente para o projeto #dinamarcaCCSP, fruto da residência do artista sonoro Jacob Kirkegaard – 29/11 às 17h.

Centro Cultural São Paulo: Exibição do filme mudo A paixão de Joana D’Arc (1928), com trilha sonora ao vivo de Jacob Kirkegaard – 30/11 às 21h.

Lilibeth Cuenca Ramussen e Jacob Kirkegaard também realizarão um espetáculo de dança inspirado na palavra Bemejemeria, que significa “no início” em amárico, a língua escrita oficial da Etiópia, o idioma mais antigo vivo.  A paisagem sonora é dividida em sete capítulos ou mudanças, como uma referência ao gênese e à criação de todas as criaturas vivas.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: 28/11 às 20h.

Centro Cultural São Paulo: 30/11 às 17h.

Lars Greve 

O saxofonista e clarinetista dinamarquês Lars Greve é membro do grupo de jazz Girls in Airports, que já teve passagem pelo Brasil. Recentemente lançou seu primeiro disco solo, Breidablik, com composições e improvisações que interagem com o ambiente.

Em São Paulo, Lars vai tocar com a banda São Paulo Undergound, que explora vertentes do post-rock, do jazz, da música brasileira e eletrônica. E no Rio de Janeiro será a vez de se apresentar com o grupo Rabotinik, que é formado por Eduardo Manso, Estevão Casé e Bruno Di Lullo e tem como foco, no trabalho atual, a pesquisa musical com base na improvisação.

Centro Cultural São Paulo: 29/11 às 19h.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: 30/11 às 20h30.

Thomas Knak

Thomas Knak é um aclamado produtor de música eletrônica e DJ dinamarquês. A contribuição de Thomas para a música eletrônica é muito significativa ao estabelecer os rumos melódicos eletrônicos da Dinamarca e Escandinávia. Thomas Knak também é conhecido em outras artes, tais como dança moderna, filme ou arte-visual, durante sua carreira produziu música para todas elas. Em São Paulo, Thomas vai se apresentar com o coletivo Voodoohop, o grupo apresenta DJs, projeções e performances, entre outras atividades, para promover eventos de cultura underground em São Paulo, geralmente no centro da cidade. A trilha sonora é diversificada e vai desde a psicodelia tropical e o slow techno ao groove e rhtyhm.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: 28/11 às 21h30.

Centro Cultural São Paulo: 30/11 às 16h.

Bjørn Svin

Bjørn Svin é compositor, produtor e performer autodidata nascido na Dinamarca, e atualmente residindo entre Berlim e Nova Iorque. Com uma intensa atuação na música eletrônica, tendo produzido diversos álbuns e trilhas, ele também é conhecido pelas enérgicas performances ao vivo e pelas diversificadas referências musicais, tais como Raymond Scott, Morton Subotnick, Aphex Twin, Cristian Vogel, Mozart, Steve Reich, Ligeti, Ella Fitzgerald e cantores/compositores africanos como Baaba Maal e Rokia Traoré. Bjørn Svin também tocará com o coletivo Voodooho, em São Paulo.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: 29/11 às 22h30.

Centro Cultural São Paulo: 30/11 às 19h.

 Kenton Slash Demon

Kenton Slash Demon é um dos novos e mais promissores talentos da Dinamarca. Mesmo sem liberar uma grande quantidade de material, os dois ganharam muita atenção. Seu som é orgânico e futurista e suas habilidades levam suas produções além do quadro típico da dramaturgia de uma faixa.

Multiplicidade Imagem_Som_Inusitados: 29/11 às 00h30 (sábado para domingo)

 Workshop